sábado, 30 de maio de 2015

CULMINÂNCIA DO PROJETO: NOSSO LIXO DE CADA DIA


APRESENTAÇÃO DA PEÇA:

Se o lixo falasse...

NARRADOR:
Na cidadezinha havia somente um supermercado. Sempre que começava um novo dia, as embalagens dos produtos que lotavam as prateleiras aguardavam ansiosas pelo seu destino; apodrecer no lixão. Nesse lugar, o sonho de sobreviver por meio da reciclagem estava fora de cogitação.
Numa bela manhã, antes de abrir o supermercado, o que se ouviu foi um triste desabafo das embalagens.
EMBALAGEM DE FEIJÃO
- Eu não quero terminar num lixo... É muito sujo e cheira mal. O tempo demora a passar.
LATA DE SARDINHA
- Eu também não! É horrível conviver com ratos, baratas, moscas e urubus
SUCO DE UVA
- É muito triste apodrecer quando poderíamos ser reaproveitadas. Não entendo como seres tão inteligentes como os humanos ainda nos tratam assim. Quando irão aprender que nem tudo o que parece lixo é lixo?
EMBALAGEM DE ÓLEO
- Será que não perceberam que as futuras gerações também irão necessitar desses mesmos recursos naturais? Os humanos  vão acordar somente quando não aguentarem conviver com as montanhas de lixo que produzem? Assim o planeta não resiste.
EMBALAGEM DE DETERGENTE
- Concordo com você. E mesmo se o nosso destino fosse o aterro sanitário, que não é o caso desta cidade, de que adiantaria? No aterro sanitário apenas não poluiríamos tanto a atmosfera e nem os mananciais.
EMBALAGEM DE LEITE
- É, mas nem todos eles são construído dentro dos padrões estabelecidos pelas normas ambientais. Alguns aterros sanitários se contentam apenas em cobrir-nos com camadas de terra.
LATINHA DE ALUMÍNIO
- Não fiquem tristes. Vamos esperar que um dia alguém desta cidade acorde pra coleta seletiva e a reciclagem.
SACOLINHA PLÁSTICA
- Alguém? Será que existe alguém?
- Ei! Quem de vocês já conseguiu escapar do lixão alguma vez?
ALGUMAS EMBALAGENS
Eu, eu  eu
SACOLINHA PLÁSTICA
- Como conseguiram?
SABÃO EM PÓ
- Eu já consegui escapar várias vezes. Tive a sorte de ser comprado por uma pessoa que fazia a separação do lixo reciclável.
SACOLINHA PLÁSTICA
- Que sorte a sua hein?
SABÃO EM PÓ
- Com certeza. Mas isso aconteceu em outra cidade onde se fazia a coleta seletiva
CAMISETA
- Posso falar, posso falar? Eu já fui garrafa pet. No processo de reciclagem, me derreteram fazendo com que eu voltasse a ser matéria prima. Depois me transformei em fios de poliéster, em malha e, finalmente, nesta camiseta.
TODOS
Que legal! Parabéns!
NARRADOR
Naquele momento, a grande preocupação das embalagens era encontrar uma saída para se livrarem do lixão.
SACOLINHA PLÁSTICA
- o que precisamos fazer é descobrir uma maneira de mudar a mentalidade das pessoas desta cidadezinha.
GARRAFA PET
- Posso falar, posso falar?
- Eu tive uma ideia luminosa.
- Ouvi falar de uma escola que, graças ao trabalho dos professores e alunos, consegui que toda a população da cidade se envolvesse num projeto audacioso de coleta seletiva. Inclusive acabaram com o lixão da cidade.
- Como sabem nenhuma família se preocupa com a questão do lixo, Mas eu conheço uma que poderia nos ajudar com isso.
NARRADOR
Tudo começa no momento em que o Pedrinho se preparava para jogar uma garrafa PET de guaraná, vazia, na lata do lixo de sua casa. Foi nesse momento que a garrafa aplicou seu golpe de mestre dizendo:
GARRAFA PET
- Pedrinho, preciso muito falar com você.
PEDRINHO
- Quem está falando?
GARRAFA PET
- Eu, a garrafa PET que tem em mãos.
NARRADOR
O menino, na hora empalideceu e não acreditou no que ouvira. Por pouco não desmaiou.
PEDRINHO
- Você fala ou eu endoidei?
GARRAFA PET
- Você não endoidou, não. O que está ouvindo é a voz da sua consciência. Sabe, eu preciso muito da sua ajuda.
PEDRINHO
- Minha ajuda?
GARRAFA PET
- É. Eu e todas as embalagens não entendemos como pessoas tão inteligentes como vocês nos tratam como se fôssemos lixo.
PEDRINHO
- Se não são lixo, o que são então?
GARRAFA PET
- Eu e minhas amigas somos importantes recursos naturais. Podemos ser úteis por muito tempo ainda. Sabe, é muito triste sermos tratadas como lixo.
PEDRINHO
- E o que eu posso fazer?
GARRAFA PET
- Por que não conversa com seus pais, sua irmã e depois com sua professora e colegas pra refletirem um pouco sobre o que estou lhe dizendo? Tratando-nos como lixo, nosso fim será o lixão, já pensou? È muito triste estar numa hora dentro de sua geladeira e depois ser jogada num lixão imundo...
NARRADOR
- Aquilo que Pedrinho menos imaginava começou de repente a fazer parte de sua vida encarar o lixo de maneira diferente. Aos poucos ele foi se familiarizando e abraçando essa causa importante.
O primeiro passo seria conscientizar a sua família. Mas, para isso, deveria aguardar o momento certo. Um dia, no supermercado com a mãe, surgiu a oportunidade.
PEDRINHO
- Mãe, por que as prateleiras do supermercado estão cheias de lixo?
MÃE
- Tá ficando maluco? Onde está vendo lixo? Não vejo nenhum.
PEDRINHO
- Tem sim, mãe.
- Vou mostrar que tenho razão. Quando a senhora descarta uma embalagem de vidro, de lata, de plástico ou de papelão, que nome lhe dá?
MÃE
- Lixo, ora bolas!
PEDRINHO
- Então, qual a diferença entre todas essas embalagens que a senhora está vendo aqui e aquelas que joga fora?
MÃE
- Uma grande diferença. Essas que estão aqui nas prateleiras não estão vazias, e aquelas que jogo fora estão. E, pra mim, embalagem vazia é lixo.
PEDRINHO
- Mas as embalagens que a senhora descarta e chama de lixo são iguais às que estão aqui contendo o produto.
MÂE
- E dai, onde quer chegar com essa ideia maluca?
PEDRINHO
- Que todo lixo que não é reciclável. Por exemplo: papel higiênico, guardanapos, lenços de papel usados, sujeira resultante da varrição da casa, restos de comida... Os recicláveis a senhora separa.
NARRADOR
No dia seguinte surgiu a oportunidade de uma conversa com o pai. No momento em que ia descartar outra garrafa PET de guaraná, ele aproveitou para entrar no assunto.
PEDRINHO
- Pai, o que faço com essa garrafa PET vazia?
PAI
- Mas que dúvida? Jogue-a na lata de lixo.
PEDRINHO
- Por quê?
PAI
- Porque lugar de lixo é no lixo.
PEDRINHO
- Então para o senhor garrafa PET é lixo?
PAI
- Senão é lixo, então o que é?
PEDRINHO
- É garrafa PET, um recurso natural, com ou sem refrigerante. Por isso vou coloca-la nessa lixeira de resíduos descartáveis recicláveis.
A partir de agora nossa família vai começar a colaborar com a melhoria de vida da nossa cidade e com a preservação do planeta em que vivemos.
NARRADOR
Maria Eduarda, a Duda, não era nada legal com Pedrinho. Gostava de provocá-lo dizendo para todo mudo que jogava futebol melhor do que ele, que tirava melhores notas... Não era fácil para Pedrinho aguentar tanta provocação.
Num sábado à noite, ao terminar de comer uma pizza, Pedrinho ouviu Duda dizer:
DUDA
- Mãe, vou colocar a pizza que sobrou na geladeira.
NARRADOR
E guardou a caixa com os pedaços de pizza que haviam sobrado.
No domingo, depois de comerem os pedaços de pizza, Pedrinho ouviu novamente a irmã dizer:
DUDA
- Mãe, onde coloco esta caixa de pizza? A lata de lixo está cheia.
PEDRINHO
- Duda, sabia que ontem você colocou lixo na geladeira?
DUDA
- Ficou maluco? E desde quando eu coloco lixo na geladeira? Ô mãe, o Pedrinho disse que eu coloquei lixo na geladeira. A senhora não faz nada?
PEDRINHO
- Você não acabou de disse que a lata de lixo está cheia? Por que ia colocar a caixa na lata de lixo?
DUDA
Porque lugar de lixo é no lixo.
PEDRINHO
Está dizendo que essa caixa de pizza que você segura na mão é lixo?
DUDA
- E não é?
PEDRINHO
- Bem, se ela é lixo, ontem você colocou lixo na geladeira.  Acontece que, com ou sem pizza, ela continua sendo a mesma caixa, o mesmo papelão, E se não sabe, papelão não é lixo, é recurso natural e, como  tal, deve ser reciclado e reaproveitado.
NARRADOR
Chegou o dia de Pedrinho e Duda encararem a professora e os colegas... O momento escolhido foi na hora do recreio.
PEDRINHO
- Professora, precisamos conversar, sobre um assunto muito importante.
NARRADOR
Pedrinho e Duda foram contando tudo o que estava acontecendo... No final, sugeriram que a professora desenvolvesse um projeto na escola sobre coleta seletiva e reciclagem. E que a escola realizasse um movimento para acabar com o lixão da cidade. Alguns colegas que estavam por perto e escutavam a conversar acharam a ideia estapafúrdia e começaram a proferir piadinhas maldosas. Outros porém, até que gostaram da ideia. A professora, impressionada com uma proposta tão ousada, ficou sem saber o que dizer, mas prometeu que iria pensar no assunto.
Em casa, no momento em que Pedrinho e Duda iam colocar outra garrafa PET na lixeira de descartáveis, outra ouviram novamente a voz.
GARRAFA PET
Muito bem meninos, se saíram ótimos.
PEDRINHO
- Será mesmo? Vários colegas riram de mim.
GARRAFA PET
- Não dê importância. Com o tempo eles também entenderão e o apoiarão.
NARRADOR
Passados uns dias, a professora chamou Pedrinho e Duda.
PROFESSORA
- Pensei seriamente na proposta do projeto que me sugeriram. Inclusive falei com a diretora, a coordenadora e outros professores. Sabe o que eles acharão?
DUDA
O que?
PROFESSORA
- A escola toda resolveu abraçar o projeto da coleta seletiva e da reciclagem e realizar também um movimento para acabar com o lixão da cidade.
NARRADOR
Pedrinho e Duda, num ímpeto de alegria, abraçaram a professora e começaram a gritar:
PEDRINHO E DUDA
Conseguimos! Conseguimos!
VIVA A COLETA SELETIVA!
TODOS: VIVA!
VIVA A RECICLAGEM!
TODOS: VIVA!
VIVA NOSSA ESCOLA!
TODOS: VIVA!

Ornamentação da sala








segunda-feira, 23 de março de 2015

OS SÍMBOLOS DA PÁSCOA E SEUS SIGNIFICADOS

Os Símbolos da Páscoa são representações que fazem parte dos rituais da Semana Santa. A Páscoa é uma festividade importante para os cristãos, refere-se a passagem para novos tempos, novas esperanças.


A vela

Representa o Cristo Ressuscitado que deixou o túmulo, radioso e vitorioso. Na vela pascal, ficam gravadas as letras alfa e ômega, significando que Deus é princípio e fim. Os algarismos do ano também ficam gravados no Círio Pascal. Nas casas cristãs, é comum o uso da vela no centro da mesa no almoço de Páscoa.



Os sinos
Cantam a alegria da Ressurreição expressa nos cânticos de Aleluia. Tocando festivamente, anunciam novos tempos, alma nova nas criaturas.


O cordeirinho
Na Páscoa da antiga Lei, era sacrificado um cordeirinho. No Novo Testamento, a vítima pascal é Jesus Cristo, chamado Cordeiro Pascal.


Os ovos
O ovo, aparentemente morto, é o símbolo da vida que surge repentinamente, destruindo as paredes externas e irrompendo com vida. Simboliza a Ressurreição.


O Coelho
Símbolo da rápida e múltipla fecundidade da própria instituição, que está espalhada por toda a parte, reproduzindo fiéis: há um número incalculável de filhos de Deus, frutos da graça da Ressurreição.


Trigo e Uva
Simbolizam o pão e o vinho da Santa Missa e, por seu grande significado com a Trindade Santa, traduzem, por excelência, o símbolo Pascal. Para a ornamentação da mesa de Páscoa, nada mais
indicado que um centro feito com uvas e trigo, entre cestasde pães e jarras de vinho.


O peixe
O peixe é o mais antigo dos símbolos de Cristo. Se Cristo é o Grande Peixe, somos os peixinhos de Cristo. Isso quer dizer que devemos sempre viver mergulhados na Graça de Cristo e na Vida Divina,trazidas a nós pela água do Batismo, momento em que nascemos espiritualmente, como os peixinhos nascem dentro d’água.


O Girassol
O girassol tem um simbolismo especial, pois está sempre voltado para o Sol, astro-rei, assim como nossas almas, que devemos estar viradas para o Divino – Sol, ou seja, Cristo Ressuscitado. 

A HISTÓRIA DA PÁSCOA


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Decoração de sala de aula

   


  Enquanto a turma está de férias, nós já estamos pensando como vamos organizar e ornamentar a sala de aula. Afinal eles merecem tudo com muito carinho.
  Dê um colorido na sala, solte a imaginação e capriche.

Segue algumas dicas:















terça-feira, 6 de janeiro de 2015

PROJETO NAS ONDAS DA LEITURA

  
   
   O Projeto “Nas ondas da Leitura” visa incentivar à leitura, compartilhar e divulgar informações e saberes. Constitui-se de uma alternativa lúdica de consolidação do hábito e do interesse pela leitura, adotando a contação de histórias e apresentações artísticas como principais recursos pedagógicos.

PÚBLICO ALVO: Ensino Fundamental I



OBJETIVO GERAL:

        Despertar o gosto de ler nos alunos e, consequentemente,
formar alunos capazes de interpretar bem o que leem e de se expressar corretamente. Incentivar a leitura, estimulando a criatividade, o espírito inventivo e a curiosidade
dos estudantes com a intenção de contribuir para formar uma nova geração de leitores, mais capaz e mais crítica.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  • Contribuir para a formação de um leitor autônomo e proficiente;
  • Assegurar e democratizar o acesso ao livro e à leitura, a partir da compreensão do valor da leitura como instrumento indispensável para que as pessoas possam desenvolver plenamente suas capacidades humanas, exercer seus direitos, participar da sociedade, melhorar seus conhecimentos educativos;
  • Estabelecer relações entre a criação literária e outras formas de arte como a música, o teatro e a pintura, etc.
  • Valorizar e fortalecer os saberes sócio-culturais contidos nas histórias como elemento de consolidação de uma identidade cultural fiel à composição social da comunidade envolvida.
  • Promover, através da contação de histórias, a divulgação de hábitos e informações educativas de uma forma pedagógica;
  • Desenvolver o prazer de ler começando pelos gibis de Mauricio Ricardo, ouvir poemas e outros textos literários;
  • Produzir histórias em quadrinhos, e poemas, utilizando recursos e tipos conhecidos; acrósticos, paródias, paráfrases, sonetos;

METODOLOGIA:

  • Criação do Clube Maluquinhos por Leitura;
  • Seleção de um acervo de histórias com conteúdo educativo, bem como poesias;
  • Escolha de autores para serem trabalhados durante o ano;
  • Momento de leitura nas salas de aula;
  • Comentários sobre os textos lidos;
  • Anotações e exercícios;
  • Oficinas de produção (criação de gibis,  poemas: acrósticos, paródias, paráfrases, sonetos, montagens);
  • Saraus;
  • Seminários;
  • Apresentações teatrais (reconto das histórias).

AVALIAÇÃO:

  • Elaboração de uma ficha para acompanhamento da leitura do aluno
  • Elaboração do relatório final (após as apresentações dos trabalhos)
  • Elaboração de uma ficha avaliação do projeto.
  • Elaboração de fichas de acompanhamento da leitura contextualizadas com cada  idade série.

RESULTADOS ESPERADOS


Espera-se que a concretização deste Projeto de Intervenção “Nas ondas da Leitura” possa resgatar o hábito da leitura e da escrita, contribuindo para a formação do cidadão – leitor – escritor inserindo-o no mundo atual como sujeito ativo de sua cultura e de sua história.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

BRINQUEDOS COM MATERIAL RECICLÁVEL

  
 SEMANA DA CRIANÇA SE APROXIMA, ALÉM DE VÁRIAS RECREAÇÕES QUE AS TURMAS PODEM FAZER, QUE TAL UMA OFICINA DE BRINQUEDOS? ELES VÃO AMAR CONSTRUIR E DEPOIS BRINCAR.

O REAPROVEITAMENTO DE MATERIAIS  É PRECISO, AJUDA A NATUREZA E ALEGRA A CRIANÇADA.

ÁBACO DE LACRES







Veja como é fácil construir esse ÁBACO.
Você vai precisar de:

  •  uma tábua 
  • 10 palitos de madeira
  • cola para madeira 
  • lacres de garrafa pet em diversas cores.
  • GUITARRA COM CDs

    Essa eles vão amar!
    • dois CDs
    • linha de nailon
    • papelão
    • tinta plástica colorida 
    • fita adesiva 
    • pinos plasticos
    Recorte uma tira de papelão, cole entre os CDs. Decore a guitarra com tinta plástica e deixe secar. Faça quatro furos e coloque os pinos reforce com cola quente. Amarre em cada pino um pedaço de linha de nailon e estique até a outra extremidade cole com fita adesiva.

  • ROLA- ROLA DE PET


    O rola-rola é um brinquedo simples de fazer e que você vai e seus alunas vão adorar.
    • dois fundos de garrafas Pet
    • fita adesiva 
    • barbante
    • tinta guache 
    Pinte o lado interno dos fundos da garrafa um de cada cor. Deixe secar. Faça dois furos um ao lado do outro no fundo da garrafa. Passe o barbante juntando as duas partes. Atravesse o barbante novamente para o outro e amarre. Feche a junção das garrafas com fita adesiva. E agora é só segurar nas pontas do barbante e fazê-lo rolar. 
  • CAI NÃO CAI DE PET

     

    Aproveite esta atividade para desenvolver atividades em duplas. Trabalha a concentração e coordenação viso-motora.

    • garrafa pet 
    • palitos de churrasco
    • bolinha de gude  
    • fita adesiva colorida
    Perfure diversas vezes a garrafa de um lado a outro com ferro de solda ou (use um arame grosso aquecido). Proteja as pontas com fita adesiva colorida. Coloque os palitos atravessando a garrafa. introduza a bolinha e feche a garrafa. O jogo consiste em retirar as varetas sem deixar cair a bolinha.
    Divirtam-se.
  BARANGANDÃ



  • Folha de revista ou jornal
  • barbante
  • tiras de papel crepom em várias cores.
Corte tiras de papel crepom, faça várias dobras na folha de revista, ao centro amarre um pedaço de barbante com as tiras de papel crepom. Decore colando tiras do papel para cobrir a revista.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Hábito da leitura




5 dicas para incentivar o hábito da leitura

   Gostar de ler é um importante adicional no processo de aprendizagem. Despertar esse gosto ainda na infância é uma ótima forma de fazer a criança entrelaçada ao conhecimento das palavras, da interpretação e da imaginação.

São inúmeros campos do intelecto que ganham com a leitura, melhoria do vocabulário, escrita correta, pluralidade de assuntos, aumento da imaginação e reflexão, auto-conhecimento além de contato com a cultura brasileira e internacional através de obras clássicas.

Os pais podem ser a ponte para direcionar e construir esse hábito, o quanto antes melhor.


1- Leia junto com o filho


Compartilhar momentos de leitura é uma ótima forma de manter no ambiente familiar momentos relaxantes e ao mesmo tempo enriquecer conhecimentos. Escolha diariamente uma horinha para ler com as crianças, nem que seja alguns minutos. 

Tente dar vida à leitura, mude a voz e interprete os diálogos do enredo, use fantoches e bonecos, criança adora ser “levado” pela estória, é nesse ponto que o gosto pela leitura é despertado, poder viajar pelas frases e temas contadas abordadas no livro até mesmo antes de saber ler sozinha.


2 – Monte uma biblioteca


Gastamos dinheiro com roupas, calçados e brinquedos, por que não também investir em livros? Procure, de acordo com a faixa etária, comprar livros, alugar em bibliotecas e sempre tenha novidades em casa. A criança ficará vaidosa em ter sua mini biblioteca no quarto com títulos infantis.

Não precisa ser uma estante, caixas e baús enfeitados podem ser uma alternativa criativa e eles podem participar da confecção.


3 – Visite livrarias


Um programa que pode unir diversão e desenvolvimento são as visitas a livrarias, deixe a criança tocar os livros, olhar, folhear e procurar se encaixar no ambiente. Caso haja programação com recitais ou contação de estórias organize o tempo e compareça com os filhos.

A criança vai despertar o interesse brincando, e além disso, estará em contato com outras crianças também. Alguns estabelecimentos tem setores somente para o público infanto-juvenil.


4 – Envolva os amiguinhos na leitura


É interessante para a criança compartilhar com os amigos as aventuras lidas em um livro, incentive a troca de títulos entre amigos ou vizinhos, eles vão aos poucos desenvolver o próprio gosto e começar a escolher qual tipo de leitura preferem.


5 –Crie atividades lúdicas


Após a leitura de um livro, tome conhecimento do tema abordado e incentive a criança a fazer desenhos ou construir sua própria estória baseada na que foi lida. Mostre curiosidade para saber como foi o enredo, converse com o filho acompanhando sua explicação  e sempre respeite o nível de entendimento.

Certamente esse hábito será levado adiante, com o amadurecimento o gosto será solidificado. Durante toda a carreira de estudante até chegar no curso de faculdade o aluno vai se deparar com a necessidade de aprofundar conhecimentos e a leitura é sem dúvida o meio mais adequado e consistente.